Saúde das unhas: conheça os problemas mais comuns

Olá, meninas! Como vão suas unhas? Sim, vocês leram certinho: “Como vão suas unhas?”. Acredite: responder a essa pergunta ingênua diz muito sobre como você está por dentro. Afinal, mais do que um território democrático para receber cores, Nail Art e todo tipo de cuidados, as unhas são verdadeiros espelhos do nosso organismo e transmitem mensagens importantes sobre como ele tem funcionado.

Saúde das unhas: conheça os problemas mais comuns

Portanto, além de transtornos que detonam nosso look e nos irritam bastante, estruturas quebradiças, manchadas ou corroídas são alertas do corpo pedindo ajuda. Querem saber como atender cada um deles, garantir a saúde das unhas e vê-las cada vez mais lindas? Então confira o nosso guia:

Socorro, minhas unhas não crescem!

Você sabia que as nossas unhas são estruturas formadas por células mortas? Na realidade, milhões delas morrem sob a pele dos dedos enquanto nosso corpo continua produzindo mais e mais camadas celulares.

Como não há espaço para todas, as células vivas empurram as mortas em direção à ponta dos nossos dedos em um fenômeno no qual uma série de proteínas armazenadas na matriz vão se misturando. É esse empurra-empurra que faz nossas unhas crescerem. E é a falta de conteúdos proteicos — incluindo a queratina — que impede a evolução delas, tornando-as fracas e quebradiças.

Como resolver o problema? A princípio, ficando de olho no que se come e transformando alimentos ricos em vitaminas, zinco, biotina e cálcio nos seus melhores amigos. Já fizemos até uma listinha bem específica deles aqui no blog, vocês se lembram? Vale lembrar que beber água também é fundamental para a saúde das unhas!

Olha a onda!

Quando traços profundos começam a surgir nas unhas e torná-las onduladas, é importante começar a prestar atenção em algumas questões. A primeira delas é: será que não estão sendo cometidos alguns pecados básicos na hora de fazer as unhas?  Sim, sulcos e estrias podem ser resultado de traumas ou irritações causados pelo mal uso de palitos e alicates. Portanto, cuidado ao utilizá-los.

Além disso, o comentário feito sobre alimentos e água no tópico anterior continua válido. Essas irregularidades nas unhas podem indicar sinal de má absorção de nutrientes ou falta de ferro. Portanto, inclua feijão, soja, grão-de-bico, ovos e beterraba em seu cardápio.

Outra dica importantíssima é manter a unha sempre hidratada. Já existem cremes específicos no mercado. Mas caso não queira investir nisso, pode recorrer a hidratantes comuns, indicados para peles ressecadas. Óleos à base de cravo-da-índia e lenços removedores — substituindo acetona — também são excelentes pedidas para proteger as unhas.

Xô, manchas!

Bolsinhas esbranquiçadas ao longo das unhas, as famosas manchinhas brancas, podem até parecer inofensivas. Mas não são. Elas significam desde machucados na matriz a “falta de ar” e infecção por fungos (as temíveis micoses).

No primeiro caso, quando surgem pequenas manchas, a cura é mesmo a paciência. Portanto, fique atenta para evitar pancadas nessas estruturas e continue hidratando-as. Com o tempo a “ferida” — na realidade constituída por uma bolhinha de ar — vai se deslocar acompanhando o crescimento das unhas e poderá ser cortada.

Mais do que nunca, deixem suas unhas respirarem. A gente sabe o quanto é poderoso usar um esmalte lindíssimo e brilhante. Mas é sempre bom tirá-los pelo menos dois dias antes da próxima sessão de manicure.

As manchas tomaram uma proporção maior e tendem a mudar de cor? Corra para o dermatologista. Seus dedos têm fungos como inquilinos e eles precisam ser expulsos. Dá para evitar a chegada deles? Sim! E com cuidados super simples: em casa, por exemplo, use luvas sempre que tiver contato com materiais químicos ou com a terra e evite ficar descalça em ambientes úmidos.

Ai, encravou…

Todo mundo sabe o quanto unhas encravadas incomodam e causam dor. Principalmente nos dedos dos pés. Às vezes o transtorno é tanto que, para amenizar, se torna quase irresistível dar aquela cutucadinha em casa mesmo. Não faça isso! Se as unhas encravarem, agendem uma consulta com um dermatologista o mais rápido possível. Tentar desencravar as unhas em casa pode causar machucados e inflamações.

Não consigo parar de roer!

Roer unhas é um probleminha múltiplo. Sabe por que? Primeiro porque pode estar associado à ansiedade e, nesse caso, é importante contar com o apoio de um psicólogo para descobrir que anseios têm te levado a impulsos como esse. Outro ponto preocupante nesse hábito é o fato de que, ao roer as unhas, você leva bactérias para a boca, por exemplo.

E então, meninas? O que acharam do nosso guia sobre saúde das unhas? Vocês sofrem ou já sofreram com algum desses problemas? Que cuidados já tomam e a que outros pretendem aderir? Deixem seus comentários sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *